Carla é professora da nova telescola e a filha não sabe: «Quero fazer-lhe uma surpresa»

Na nova telescola há aulas de zumba, quadros electrónicos e boa disposição. 100 professores abraçaram o desafio de construir o #EstudoEmCasa. As aulas na TV começam na próxima segunda-feira.

18 Abr 2020 | 12:50
-A +A

Os tempos em que o Estúdio 1 da RTP se enchia de público para as gravações de O Preço Certo ou para grandes eventos como o Festival da Canção parecem longínquos. O espaço amplo, um armazém com um teto adornado de teias de metal, holofotes e maquinaria, está vazio. Aparentemente vazio. Lá dentro, uma pequena equipa continua a trabalhar. A todo o gás. É sexta-feira, 17 de abril. A contagem decrescente para a primeira emissão do #EstudoEmCasa, a telescola que vai acompanhar os alunos do 1º ao 9º ano ao longo de 10 semanas, começou.

No estúdio do #EstudoEmCasa, que replica uma alegre e confortável sala de estar, Raquel Lopes e Carla Lagos gravam uma aula de Educação Física para o 3º e 4º anos. Não há espaldares nem colchões, nem balizas mas há música e muita animação. O incentivo, ao longo dos 30 minutos de exercício físico, é à participação da família das atividades. A atividade desta aula é uma espécie de aula de zumba. 

As professoras de Educação Física Carla Lagos e Raquel Lopes

 

E, por falar em família, Carla Lagos, natural de Leiria, preparou uma surpresa para a sua. Em particular para a filha Alice que tem 9 anos e também será aluna do #EstudoEmCasa. «Eu não contei a ninguém, nem à minha filha porque quero fazer-lhe uma surpresa. Ela não sabe e estou ansiosa para que ela veja», conta a professora de Educação Física. Guardar o segredo, sobretudo numa altura em que tem estado em casa, não tem sido tarefa fácil. 

«Ela reparou que eu, de repente, passei a ter muito trabalho e a passar menos tempo com ela. O tempo que passo é a correr até à fase em que me perguntou ‘o que é que tu vais fazer, mãe?’. Para a acalmar, disse-lhe que lhe ia fazer uma surpresa mas que ela só a ia ver na terça-feira. Como ela fez anos há pouco tempo, ela até pensa que é uma comida diferente, porque as surpresas nesta fase passam um bocado por aí», relata. Alice vai ter o privilégio não só de ter a mãe a dar aulas para o país mas também de «ver os seus peluches» na TV. 

estudo em casa rtp

Carla é professora há 17 anos «com muitas paragens, contratos sucessivos, alguns temporários, outros anuais». Quando a vida voltar à normalidade, os professores serão mais valorizados? «Neste momento já começam a dar valor aos professores. Não acredito que voltemos ao estatuto de há uns anos mas o nosso trabalho poderá ser muito valorizado, não só o papel dos professores mas o da escola na sociedade», afiança.

«Nós não somos de dizer ‘não’ a desafios»

A aula de atividades rítmicas e expressivas terminou som de uma das músicas da banda sonora do filme da Disney Frozen. Raquel Lopes nunca tinha pisado um estúdio de televisão nem tão-pouco estado em frente a câmaras mas o jeito inato está lá. 

A professora de Educação Física, natural de Braga, explica como surgiu a oportunidade de participar na nova telescola. «Este convite foi encarado como um grande desafio e uma missão mas toda a escola aceitou prontamente», começa por dizer Raquel. «É desafiante. Primeiro, pela situação que estamos a viver. Por todo o trabalho que isto acarreta. À frente das câmaras estão dois professores mas nós temos uma grande equipa que nos ajuda, não só da nossa área como de outras», explica. 

O receio da exposição pública é comum às 3 professoras entrevistadas pela TV 7 Dias. Um medo que fica para segundo plano porque, agora, é tempo de agir. «Nós não estamos habituados a isto. Dar aulas a alunos é uma coisa, aqui é outra. Mas nós não somos de dizer ‘não’ a desafios.», conta.

O nervosismo e a «pressão» de dar uma aula de 30 minutos, sem alunos e com câmaras à frente não desmotivou Raquel Lopes, que esta sexta-feira gravou duas de 10 aulas. «Estas fizemos de forma mais contida porque não conhecemos a realidade. Tentámos estar atentos às condições que os alunos têm em casa e o que poderia ser mais motivante para estas faixas etárias».

estudo em casa rtp
Raquel Lopes, professora da Educação Física

 

Raquel é professora há 14 anos e, neste ano letivo, é substituta no Agrupamento de Escolas Fernando Casimiro Pereira da Silva, em Rio Maior. #EStudoEmcasa é, para a professora, uma forma de abrir os olhos a um país que, tantas vezes, parece estar de costas voltadas aos que mantêm viva a escola pública. «É um projeto que é muito importante, principalmente porque nem todos os nossos alunos têm condições para ter computadores e internet. E também é uma forma de estarmos mais próximos deles. Mesmo para os pais perceberem um bocadinho o que é a escola». 

«O principal receio é esta exposição massiva»

 

Ana Josefa Gomes é professora de Português Língua Não Materna. Uma disciplina para alunos que não são nativos da língua de Camões. Professora do Agrupamento de Escolas do Vale da Amoreira, na Moita, Josefa é uma privilegiada do corpo docente do #EstudoEmCasa. «Este ano letivo estou destacada para trabalhar na ciberescola, onde trabalhamos com alunos de Português de Língua Não Materna. Lecciono à distância, já estou habituada. A ciberescola funciona como um complemento ao trabalho que os professores fazem na sala de aula», explica. 

estudo em casa rtp

Após a surpresa inicial do convite, Josefa respondeu de imediato ao «desafio proposto». «Acaba por ser fazer aquilo que fazemos no nosso dia a dia. Os alunos precisam de continuar a ter aulas. Como já vimos que as aulas à distância através da internet não chegam a todos, esta seria a forma de poder chegar aos que têm menos recursos», conta a professora. «O principal receio é esta exposição massiva. O espaço é diferente, não temos o nosso público real, a interação não existe. Tudo isso são constrangimentos que acabam por fazer parte deste novo contexto em que temos de lecionar as nossas aulas», salienta. 

#EstudoEmCasa começa esta segunda-feira, 20 de abril, às 9h00 e termina a 26 de junho. As aulas são transmitidas na RTP Memória, disponível em todas as operadoras de televisão por cabo e também na aplicação RTP Play e no Youtube. 

  • TDT – posição 7
  • MEO – posição 100
  • NOS – posição 18
  • Vodafone – posição 17
  • Nowo – posição 13

 

Descarregue aqui o Calendário das Aulas do #EstudoEmCasa

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Tito Calado

 

Veja mais:
#EstudoEmCasa: Ana Melo é a primeira professora da nova telescola
#EstudoEmCasa: Aulas à distância também vão chegar ao YouTube através de cinco canais

PUB
Top