Bruno Nogueira revoltado com situações nas escolas: “O vírus passamos a ser nós”

Bruno Nogueira mostrou-se insatisfeito com as orientações da Direção-Geral de Saúde destinadas às escolas, no que diz respeito ao combate da covid-19. Humorista apela ao “bom senso”.

08 Jan 2021 | 16:50
-A +A

Bruno Nogueira está revoltado e manifestou a sua opinião nas redes sociais.

Recorreu à sua página de Instagram para dar conta do seu descontentamento face às medidas tomadas pela escola de uma das filhas para combater a proliferação do novo coronavírus. O estabelecimento de ensino informou os encarregados de educação que as salas de aulas “não estão aquecidas, em virtude de se cumprirem as orientações da DGS [Direção-Geral de Saúde]” e do “guião de procedimentos da covid-19”.

É absolutamente inaceitável

O humorista considerou a ação implementada como “absolutamente inaceitável” e alertou para a necessidade de “bom senso”. “Acabei de receber isto da escola de uma das miúdas. É absolutamente inaceitável num inverno tão rigoroso, com temperaturas de 6º pela manhã, que as crianças tenham de passar por isto. Não quero imaginar o que será em zonas com temperaturas ainda mais baixas. Entendo que estamos numa situação nunca antes vivida e que a adaptação não é fácil, mas se deixa de reinar o bom senso, o vírus passamos a ser nós. E esse é bem mais difícil de controlar”, escreveu nas redes sociais.

O apoio prestado a Bruno Nogueira

Na caixa de comentários à publicação, multiplicaram-se as mensagens de apoio ao humorista. “Onde foste lógica, por onde andas por favor? Volta rapidamente que estás perdoada e bem precisa aqui. Meu Deus”, escreveu a ex-concorrente do “Masterchef” Ann Kristin. “Não bom senso”, lamentou Jessica Athayde. Na opinião do médico dentista Miguel Stanley, a medida “não faz sentido”.

” Existem filtros HEPA que se podem pôr nas salas para desinfectar o ar nas salas. Aquecimento não é problema! Como não se pode aquecer uma sala de aulas para crianças que já não estão a ter uma vida normal?!! Vergonha!!!”, disse.

José Raposo dedicou um publicação ao caso de Bruno Nogueira na sua página de Instagram. “Isto é o cúmulo da falta de bom senso!!!”, atirou.

Wanda Stuart: “Escola? Deveria antes dizer frigorífico”

Wanda Stuart padece do mesmo problema. A cantora mostrou-se revoltada com as condições em que a filha, Eva, de 15 anos, tem tido na escola. Segundo a cantora, a jovem, à semelhança de vários outros adolescentes, tem tido alguns problemas de saúde devido às regras da Direção-Geral da Saúde para combater a propagação de covid-19.

“Depois de um dia dedicado ao meu aniversário, tentando não postar nada desagradável, eis que me encontro de novo na dura realidade. Neste momento, a minha filha está a preparar-se para ir para a escola… Escola? Deveria, antes, dizer frigorífico”, começou por escrever.

“É que, graças a regras impostas pela DGS, os nossos miúdos sujeitam-se a apanhar uma pneumonia”, disse.

“Cheia de dores no peito e no corpo”

Wanda Stuart continuou a descrever o que se passa no estabelecimento de ensino frequentado por Eva. “Não adoecem com o vírus… adoecem com coisas piores! Mas este vírus tirou a capacidade de raciocinar desta gente que nos ‘des’governa? A minha filha foi na segunda-feira à escola, como todos os estudantes, e veio de lá cheia de dores no peito e no corpo”, explicou.

“Como está sentada junto a duas janelas abertas, encontra-se mesmo no meio da corrente de ar… Inadmissível! Um dos meus desejos para este ano é que as pessoas voltem a pensar com cabeça, não com o pensamento toldado pelo pânico, que nos leva a tomar atitudes imprudentes e põe em perigo a saúde dos nossos filhos”.

Texto: Alexandre Oliveira Vaz e Patrícia Correia Branco; Fotos: Arquivo Impala e Redes Sociais
Leia também:
DGS lança Manual de Prevenção e Controlo da Covid-19. Saiba o que não deve fazer!

PUB